Materiais verdes

Silvio Colin

O conceito de construção sustentável incorpora e integra uma variedade de estratégias durante a concepção, construção e operação de projetos arquitetônicos. Chamamos materiais e produtos verdes aqueles que são compatíveis com esta atitude.  O uso destes materiais representa uma atitude importante no projeto de um edifício, pois oferecem muitos benefícios para o proprietário e ocupantes do edifício, quais sejam: custos de manutenção e substituição reduzidos, quando relacionados com a vida do edifício; conservação de energia, preservação da saúde dos ocupantes, redução de custos associados com a alteração de configurações espaciais, maior flexibilidade de design.

Coletor com painel solar fotovoltaico. Imagem <www.buildingwithawareness.com>

As atividades relacionadas com a construção em todo o mundo consome 3 bilhões de toneladas de matérias-primas a cada ano ou 40 por cento do uso total global de materiais [1] e os produtos verdes promovem a conservação dos escassos recursos não-renováveis no âmbito internacional. Além disso, a integração de materiais de construção verdes em projetos de construção pode ajudar a reduzir os impactos ambientais associados à extração, transporte, processamento, fabricação, instalação, reutilização, reciclagem e descarte desses materiais de construção.

Casa com cobertura verde. Imagem <karlacunha.com.br>

Materiais de construção verdes são compostos de fontes renováveis, em vez de recursos não renováveis. O concreto, por exemplo, se utiliza de fontes não renováveis, como a areia de rio e a pedra britada. Os materiais verdes são ambientalmente responsáveis, porque no seu processo produtivo são considerados os impactos sobre a vida do produto [2]. Em função dos objetivos específicos do projeto, uma avaliação de materiais verdes pode envolver um ou mais dos critérios descritos abaixo.

Quanto à eficiência, são produtos cujo conteúdo apresenta possibilidade de reciclagem pós-industria identificável, como aproveitamento de sobras, ou pós-consumo, isto é, a sua reutilização. São materiais colhidos de fontes geridas de forma sustentável, abundantes, naturais e renováveis e, de preferência, são certificados por um órgão independente do processo produtivo, como por exemplo, a madeira certificada. São produtos fabricados com processos eficientes, incluindo a redução do consumo de energia, minimização de resíduos, os quais devem ser recicláveis, com embalagem também reciclável, e redução dos gases com efeito de estufa. Sua matéria prima, componentes e sistemas de produção devem ser localmente ou regionalmente disponíveis, o que possibilita poupança de energia e economia de recursos com transporte para o local da construção.

Porta reutilizada. Imagem <blogmulherdefases.blogspot.com>

Os materiais verdes incluem produtos recuperados, recondicionados ou remanufaturados. São materiais recuperados de descarte e renovados, reparados, restaurados, com a sua aparência, desempenho, qualidade, funcionalidade incrementados. A possibilidade de reutilização ou reciclagem no final de sua vida útil primária é uma qualidade que deve ser observada nos materiais. Cuidado especial deve ser dado às embalagens, que devem ser também recicláveis. Materiais que têm uma expectativa de vida longa são mais vantajosos quando comparados aos produtos convencionais.

Parede construídas com garrafas. Imagem <www.icis.com>

A Qualidado do Ar Interior (IAQ) [3] é aumentada pela utilização de materiais que atendam aos seguintes critérios:  a) materiais que tenham poucas nenhuma emissão cancerígena, de qualquer maneira tóxicas, ou irritantes, como demonstrado pelo fabricante através de testes adequados;  b) produtos que tenham o mínimo de emissões químicas de Compostos Orgânicos Voláteis (VOC [4]) ; c) produtos que melhor aproveitem recursos para promover a eficiência energética; d) materiais que propiciem sua instalação com o mínimo de produção de compostos de VOC, ou métodos não-VOC de fixação mecânica e apresentem menores riscos na instalação; e) produtos e sistemas que resistam à umidade ou inibam o crescimento de contaminantes biológicos em edifícios; f) materiais, componentes e sistemas que exigem métodos simples de limpeza, não-tóxicos, ou de baixo VOC; g) produtos que promovam a IAQ saudável, identificando poluentes de ar interno ou melhorando a qualidade do ar.

Maior eficiência energética  pode ser conseguida através da utilização de materiais e sistemas que ajudem a reduzir o consumo de energia em edifícios e instalações. Produtos e sistemas que promovam a redução do consumo de água em edifícios e a conservação da água em zonas ajardinadas, além de seu armazenamento, são parte do projeto verde. A disponibilidade do material também deve ser considerada, assim como a espectativa de vida do produto, custos de construção, quando comparáveis a outros materiais.

Esquema conceitual do edifício verde. Imagem:  intervenção sobre < www.newenglandmetalroof.com>


[1] ROODMAN D.M.  e LENSSEN N., A Building Revolution: How Ecology and Health Concerns are Transforming Construction, Worldwatch Paper 124, Worldwatch Institute, Washington, D.C., Março 1995, p. 5.

[2] SPIEGEL, Ross  e DRU, Meadows, Materiais de Construção Verde: Um Guia para Seleção de Produtos e especificação, John Wiley & Sons, Inc., New York, 1999.

[3] Indoor Air Quality

[4] Volatile Organic Compound

Link: http://www.calrecycle.ca.gov/GreenBuilding/Materials/


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s